Em tentativa de manobra, presidente da Câmara encerra sessão durante fala de Sandro Moreira sobre “Lixão da Naturalle”

with 1 comentário

Uma situação bastante desagradável na Câmara de Vereadores de Simões Filho levou o público que acompanhava a sessão, na manhã desta terça-feira (30) a questionar se realmente aquele espaço é a Casa do Povo, já que, ao invés de defender os anseios da população, a maioria dos edis prefere “fechar os olhos para o clamor popular” no sentido de defender os interesses da gestão municipal, mesmo que isso transmita aos seus eleitores falta de prestígio e credibilidade.

Foi desta maneira que se sentiu o vereador e líder da bancada de oposição, Sandro Moreira (PSL), quando teve o seu direito a fala na tribuna cerceado pelo presidente da mesa diretora, Orlando de Amadeu no decorrer da Palavra Franqueada.

Em uma tentativa de manobra orquestrada, Orlando anunciou o final da sessão por falta de quórum justamente enquanto o vereador Sandro Moreira proferia questionamentos acerca do funcionamento da empresa Naturalle, que “com as bênçãos do prefeito Dinha”, está implantado um “lixão” no município.

De acordo com Sandro, foi nitidamente visível a saída estratégica de dois dos 11 edis que participavam da sessão no momento de sua fala, em uma frustrada tentativa de impedir que o clamor do povo chegasse aos anais da Câmara através do seu pronunciamento.

“O assunto da Naturalle mexe com muita gente. Senhoras e senhores está havendo uma manipulação, inclusive já houve autorização pela prefeitura para o funcionamento da empresa, mesmo com a negativa do INEMA. Eu gostaria de pedir ao prefeito Diógenes Tolentino que se atentasse  para o que ele se comprometeu aqui com as entidades da região da Terra Mirim, Dandá e Pitanga de Palmares, que após a decisão do INEMA iria rever a licença que o secretário Elias Melo liberou para a instalação”, declarou Sandro.

Apesar das manobras e articulações para favorecer o funcionamento do lixão, Moreira ainda afirmou que não vai admitir tamanha irresponsabilidade por parte da gestão municipal, haja vista que, a área escolhida pela Naturalle é um aquífero responsável pelo manancial de águas que abastece 40% da região metropolitana, mas para que essa luta se perpetue, ele precisa do apoio do povo.

Já em entrevista à impressa local no final da sessão, Sandro declarou estar surpreso com a atitude dos parlamentares, ao mesmo tempo em que se faz decepcionado com a omissão do nobre colega Alfredo Assis, que, além de não contribuir com a discussão, logo após a sua fala pediu para se retirar da plenária, dando ao presidente o direito de encerrar a sessão.

Assista ao vídeo:

 

Uma resposta

  1. Lucas
    | Responder

    Parabéns Vereador Sandro Moreira pela coragem e pela competência de defender o povo de Simões Filho! Fora Lixão!

Deixe uma resposta